Sexta-feira, 11 de Abril de 2008

Intervalo da Telenovela Maria das Dores

Pronto! Acabou a primeira parte desta telenovela 

    

     Tivemos a grama-la desde 20 de Janeiro de 2007, data em que a protagonista “Maria das Dores” farta de tentar fazer tudo e mais alguma coisa para se apresentar no nosso Jet-Set, chegou à conclusão que não tendo valor social para tanto era impossível.

     Mas com algum dinheirinho o iria conseguir.

 

     Paga-se um jantar aqui, outro ali, cria-se uma festa de “croquete” onde se convidam algumas “tesas” e “tesos”mas que têm nome na sociedade, compra-se a entrada para uma festa no Casino, no Budha ou outro evento qualquer a um penetra especializado nestas coisas e lá se consegue penetrar nas festas do Jet-Set decadente da nossa praça.

     Depois, é só passarem várias vezes à frente de uma câmara de TV quando estão a entrevistar alguém ou andarem toda a noite a fazerem-se aos fotógrafos. Pois é, mas isso custa dinheiro e muito.

    São as roupinhas dos costureiros famosos a quem tem de se alugar os fatinhos, pois estes não são parvos e só emprestam mesmo, aos já famosos.

     Se forem a extremos até alugam uma limousine para entrar de estadão na festa.

     Há, também convém ir acompanhada por um bom rapagão, (não é preciso ser famoso, é necessário é que seja alto, magro, bem vestido e lhe saiba dar o braço) mas isso também custa dinheiro e alguns até levam bastante. (se for com cama é mais caro)

 

     Encontradas todas estas necessidades, sendo casada com um homem de largas posses, mas que não estava virado para aturar tanta catorreira, só havia duas soluções. Divorciava-se ou matava-o.

     O Divórcio era uma chatice, ficava mal na sociedade. Matá-lo, assim sem mais nem menos, também não dava jeito. Matar assim sem mais nem menos o pai dos filhos, o que é que lhes iria dizer? Bem, um ainda é puto e não iria entender estas coisas, o outro era mais fácil de convencer, andava da 5ª avenida de Nova York passeando os seus fatos de lantejoulas, imitando a amiga Tatiana Romanova dos seus tempos do Parque Eduardo VII e a gastar a guita que a mãezinha lhe ia dando.

 

     Como é uma pessoa pensante, pensou, pensou, e acabou por arquitectar um sistema em que o marido iria desta para a melhor sem a sua participação directa. Assim foi. Com artes, manhas e promessas de uma bela quantia, lá convenceu o pobre do seu motorista a arranjar um amigo para darem uma coça a sério, mas tinha de ser uma coça bem a sério para não voltar a dizer que não estava disposto a aturar as sua despesas mais as do progenitor.

 

     Assim foi. Naquele dia quando chegaram a casa o marido foi de elevador e ela com a desculpa que estava com claustrofobia, iria pela escada.

 

     - Isto parece uma história do cordel, mas não é! Já vão ver o final.

 

Quando o desgraçado entrou em casa, lá estavam o motorista e o carpinteiro com uma maceta das obras e um saco de plástico para enviarem o coitado para os anjinhos. E foi, o coitado!

 

Passaram dois anos com algumas peripécias pelo caminho. Todos viram esta novela, portanto não é preciso contar mais.

 

     Chegou finalmente a última parte da primeira parte da dita.

 

     Foram todos a julgamento, todos não, porque a dona, quis no último momento desta peça, ter um acto teatral, encenando o seu suicídio, encontrando-se na altura no Hospital Prisão de Caxias.

 

     Não lhe valeu de nada porque o Juiz, condenou-a a 23 anos de prisão, e aos seus comparsas

João Paulo Silva, 20 anos e a Paulo Horta 18 anos, considerados co-autores do homicídio qualificado.

 

     O pano fechou! É como quem diz: Fim da Primeira Parte.

 

     O advogado, vai recorrer, o filho, vai viver na maior com o Zezinho e como a esposa deste está lá longe e doente, pode ser que morra e os putos ficam felizes para sempre (Motta e Tatiana)

 

     Quanto à criminosa, como a nossa justiça está como está, lá vão andar de recurso e recurso e pode ser que qualquer dia a "Dona" apareça na TV com um programa "Como arranjar fortuna matando o marido".

 

Tenho Dito

 

   

     Nelson Camacho D’Magoito

 

Estou com uma pica dos diabos: Feliz por estar vivo
música que estou a ouvir: O Espírito da Justiça
publicado por nelson camacho às 06:21
link do post | comentar | favorito
|

.No final quem sou?

.pesquisar

 

.Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Um amigo colorido

. Namorados

. A Intrusa

. Sábado chato para um amig...

. Um Recado

. As Borboletas

. Estou na prisão do tempo

. As minhas procuras no Nat...

. Pequenas coisas

. A história do Pátio do Ca...

.arquivos

. Setembro 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Janeiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.tags

. todas as tags

.favorito

. Sai do armário e mãe pede...

. Eurovisão

. Depois de "All-American B...

. Raptada por um sonho ...

. Crónica de um louco senti...

. Terminei o meu namoro!!‏

. Dois anjos sem asas...

. Parabéns FINALMENTE!!!!

. Guetos, porque não?

. “Porque razão é preciso t...

.A Tua visita conta

web counter free

.Sempre a horas para criticar

relojes web gratis

.Art. 13, n.º 2 da Constituição

Ninguém pode ser privilegiado, benificiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou orientação sexual.
blogs SAPO

.subscrever feeds