Segunda-feira, 15 de Setembro de 2008

Chafurdando neste imenso lodo

 

Este Lamaçal

 

     Conforme tinha prometido, em Hoje vamos à Festa na Atalaia, fui mesmo!

     Fui e mais uma vez gostei. Gostei dos comes e bebes, gostei das bandas musicais e de todos os artistas, da convivência entre toda a malta fossem ou não partidários do PC.

     Os 27 “aéreos” que gastai para os três dias foram bem empregues.

     Gozei que me fartei e até na última noite fiquei numa tenda de campismo de um amigo que lá arranjei. Deu muito jeito, pois assim a festa ficou completa.

     Quanto aos comícios dizem que foram bons. Não sei porque andei entretido com outras coisas mais interessantes na medida em que os dias eram de festa e não de politiquices. Só tive pena que o meu escritor favorito o José Saramago que foi homenageado pelos dez anos que distam da atribuição do Prémio Nobel, não tenha aparecido, pois eu até levei dois livros da sua autoria para mos autografar e não tive sorte nenhuma, mas enfim, fica para outra ocasião.

     Dou aqui mais uma vez os parabéns ao PC por nos ter proporcionado uma festa para todos os gostos políticos e tanto é verdade que o dono da tenda onde fiquei conforme já disse, até é do PS. Ficámos grandes amigos e nesta altura que já lá vão uns dias, para compensar, já saímos juntos e porque por aqui também tem havido festas populares, desta vez foi ele que ficou em minha casa.

     Com este meu novo amigo temos ido à praia, já fomos ao cinema e percorremos alguns bares da capital o que deu para me aperceber que a nossa cidade de Lisboa está cada vez mais pejada de mendigos (os sem abrigo) e drogados (arrumadores de carros). Parece que todos os comícios que se fazem por esse país fora nada mais são que bazofias, criticando o que os outros fazem e sem nunca chegarem a conclusão alguma para satisfazer as necessidades do cidadão.

     São os assaltos, às bombas de gasolina, ao comércio em geral, a casas particulares, ao roubo de carros. São as notícias que nos entram pela casa dentro pelos noticiários das televisões das rádios e dos jornais sobre atentados ao ser humano na forma menos digna que é a morte.

     Como tudo isto não chega-se, os Senhores Juízes com provas mais que concludentes dos factos postas à sua frente, mandam os delinquentes para casa. No dia seguinte os malfeitores, voltam ao mesmo. Entretanto os Senhores que estão no governo nada fazem. A um já lhe assaltaram a casa, (não foi mal feito) é para aprender que toca a todos. Qualquer dia o nosso país está transformado numa favela do Brasil.

     Cada vez, tenho mais vontade de ouvir o fado do António Mourão “ Ó Tempo volta p’ra traz”.

     Naquelas deambulações por Lisboa com o meu novo amigo, deparei-me com um triste caso. Eram quatro da manhã e enquanto se gastavam rodos de dinheiro nas discotecas, no alpendre do Teatro Nacional D. Maria II, pernoitavam dois velhos enrolados em trapos e tendo como cobertura umas caixas de cartão. Nada pude fazer a não ser dedicar-lhes este poema.

  

As minhas botas estão negras

Negras e pesadas desta lama,

Absurda tentação

De chafurdar neste imenso lodo

Onde crianças nuas de barrigas gordas

Me agarram as calças.

 

Quero apressar o passo

Atrasar-me o espanto,

Espanto de ver nomes

Que o deviam ser

Caminhar curvados,

Braços estendidos

À procura do caminho,

Outros já cansados

Imitam a sombra no chão.

 

Mais alem

Onde a luz do Sol se reflecte

No sangue negro de um soldado,

Um cão vadio

Leva ao mendigo

O pão seco que ele não vê.

 

Quero apressar o passo

Mas a lama engrossa mais,

Tanto como o meu espanto,

Porque ao lado

No passeio mais acima

Longe dos ratos que tudo aproveitam

Caminha uma dama de vestes brancas

A que peço ajuda

Mas não vê.

 

Quero apressar o passo

Mas o frio tolhe-me os músculos,

O frio desta terra

Onde o calor da vida

Há muito se extinguiu.

 

 

Nelson Camacho D’Magoito

 

Estou com uma pica dos diabos: triste com a pobreza
música que estou a ouvir: Ó tempo volta P'ra traz de António Mourão
publicado por nelson camacho às 03:01
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Susete Evaristo a 7 de Abril de 2009 às 17:37
Pois é Nelson mas quem indo uma vez à festa do Avande terá uma opinião contrária? Ainda bem que gostou este ano há mais.
Eu também lá estive.
Bom gostei muito do seu poema e queria pedir permissão para o levar para o meu blogue "Imagens e poemas" onde conjugo as imagens de um amigo às palavras dos poetas que conheço.
os meus cumprimentos
Susete
sgse.01@sapo.pt

Comentar post sem tretas

.No final quem sou?

.pesquisar

 

.Fevereiro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. Namorados

. A Intrusa

. Sábado chato para um amig...

. Um Recado

. As Borboletas

. Estou na prisão do tempo

. As minhas procuras no Nat...

. Pequenas coisas

. A história do Pátio do Ca...

. Finalmente libertei-me.

.arquivos

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Janeiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.tags

. todas as tags

.favorito

. Sai do armário e mãe pede...

. Eurovisão

. Depois de "All-American B...

. Raptada por um sonho ...

. Crónica de um louco senti...

. Terminei o meu namoro!!‏

. Dois anjos sem asas...

. Parabéns FINALMENTE!!!!

. Guetos, porque não?

. “Porque razão é preciso t...

.A Tua visita conta

web counter free

.Sempre a horas para criticar

relojes web gratis

.Art. 13, n.º 2 da Constituição

Ninguém pode ser privilegiado, benificiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou orientação sexual.
blogs SAPO

.subscrever feeds