Terça-feira, 16 de Setembro de 2008

O Preço de ser diferente

Cada um deve viver a vida conforme lhe aprovar.

    

     Agora que a escola vai começar, este post é dedicado aos jovens que agora começam a despontar para a vida. Vão não só ter mais conhecimentos literários como da vida propriamente dito. São os novos amigos e pessoas indiferenciadas que vão conhecer e retirar deles experiências de vida que lhes vai servir para o seu futuro. 

     Quantas vezes tenho dito “Não tenhas medo de ser diferente”? Vezes sem conta!

     Eu sei que por vezes essa atitude tem o seu preço, no entanto, acho que cada um deve viver a vida que precisa viver.

     Quando digo “Não tenhas medo de ser diferente” é um conselho no seu todo ou seja:

     - Ser diferente na forma de vestir. Não vem mal ao mundo.

     - Ser diferente na forma de actuar perante os outros, desde que não ofenda o próximo. Também não vem mal ao mundo.

     - Ser diferente no seu conceito das coisas. Diz-se que da discussão nasce a luz.

     - Ser diferente na forma de encarar o mundo, seja-se pouco o muito letrado, chefe, presidente ou Rei, cada um tem o direito de comandar a sua vida e a dos outros desde que não vá afectar o próximo. Há dirigentes, por exemplo: Hugo Chaves e Alberto João Jardim, embora com ideologias políticas diferentes para o comando dos seus povos, nas suas ópticas é assim que está certo e sem papas na língua lá vão fazendo o melhor que sabem e podem.

     - Ser-se diferente é um paradigma do ser humano.

     - Nem todos nascem, poetas, escritores, dirigentes, advogados, médicos, cantores ou actores.

     - Ninguém é só masculino ou só feminino.

     - Ser-se diferente não se obtém nos estudos ou na vivencia com os outros, está implícito na sua própria génese.

     Ser-se diferente na sua sexualidade, não é uma opção ou doença, mas sim o redireccionamento de energias sexuais que existem dentro do ser vivente.

 

A felicidade não está ligada à forma física ditada pelo sexo.


“- Será que todo mundo que troca de sexo vira homossexual?


- Em absoluto! Isso ocorre muitas vezes porque o espírito ainda está muito apegado a determinado sexo e não consegue se adaptar à mudança que ele mesmo se impôs. Não consegue compreender que a felicidade não está ligada à forma física ditada pelo sexo, não aceita perder o masculino ou o feminino. Muitas vezes, sente-se um estranho em seu próprio corpo, como se o veículo carnal que ocupa não lhe pertencesse, como se fosse prisioneiro de um corpo físico que está em desacordo com seu desejo. Pensa que só nascendo como homem ou mulher é que se sentirá completo e inteiro, e não quer mudar. Não se conforma em experienciar coisas diversas, porque não quer se desapegar da situação de homem ou mulher que, um dia, foi a fonte de seus maiores prazeres. É como se a materialidade do sexo se embrenhasse em seu ser a tal ponto que ele não conseguisse perceber a subtileza do espírito, despertando a consciência apenas para o que é carnal.


Mas isso não é uma regra, e cada um vive aquilo que precisa viver. Há vários motivos por que os espíritos escolhem nascer homossexuais. Há pessoas que só vêm viver o preconceito; há pessoas que abusaram do sexo, seu e de outros; há pessoas até que já mataram em nome da chamada virilidade. Veja Romero, por exemplo. Ele vem reencarnando como homem heterossexual há muitas vidas, mas somente nesta se tornou homossexual. Foi a forma que escolheu para tentar se libertar de tantas culpas, principalmente da pedofilia e do apego excessivo a você. Cada caso é um caso, Judite, e não há como estabelecer uma regra.


- E nada disso é errado?

 
- Tudo está certo na criação de Deus, e todas as coisas que existem no mundo trabalham em favor de nosso crescimento. A vida dispõe de muitos métodos para nos auxiliar, cabendo a nós optar por aqueles que mais se adaptam a nossos propósitos.


- Não poderíamos chamar o homossexualismo de doença?


- Não é uma doença. É claro que há um redireccionamento na energia que gera o desejo sexual, e a causa desse redireccionamento está associada às experiências que cada um precisa viver. Homens e mulheres são seres de dupla polaridade, onde vai predominar, energeticamente, o pólo que é próprio de seu sexo, permanecendo o outro em estado latente e germinal. Mas ninguém é só masculino ou só feminino. Todos nascemos dotados dessa duplicidade de forças, e é preciso que elas estejam em harmonia. Tudo em nós, como no universo, se manifesta em dualidade. Se temos um ponto masculino, havemos de possuir o contraponto feminino, e vice-versa, o que é nosso equilíbrio e nos auxilia na utilização saudável dessas duas forças. Há homens heterossexuais que são extremamente femininos, assim como há homossexuais de atitudes pronunciadamente masculinas. E daí? Ambas as energias estão lá, na mesma proporção, embora vibrando em intensidades diferentes em cada um.

 

 A vida coloca diante de nós situações que desafiam nosso feminino e nosso masculino, e o desejo sexual é uma delas. Se um homem se sente atraído por outro homem, é claro que algo de seu feminino vibra mais nesse momento, porque ele tem essa polaridade dentro dele, só que não tão latente. Por outro lado, na relação em família, por exemplo, pode ser o sustento do lar, não só financeira como emocionalmente, "segurando a barra" de todo mundo, como se diz por aí. Nesse momento, o feminino, que vibra com mais intensidade no desejo sexual, cede lugar ao masculino, que precisa se sobrepor para garantir a subsistência. — Fábio fez breve pausa e concluiu:

 
- Mas o que conta verdadeiramente para o espírito é a forma como o ser humano se conduz diante da vida, porque só aqueles que já aprenderam a abrir o coração para o amor é que são capazes de vivenciar todas essas experiências com dignidade e respeito.”

 

O texto aqui publicado entre aspas foi retirado do livro espírita “O preço de ser diferente” de Mónica de Castro.

 

     Espero que você depois de ter lido atentamente este meu post fique de plena consciência que o que importa na vida é mesmo amar.

     O amor pelas coisas, pelas causas e pelas pessoas transcende todas as opiniões e não faz qualquer distinção entre pessoas. Pode até revelar-se de forma diferente, mas sempre um só!

 

Como dizia Florbela Espanca:

Eu quero amar, amar perdidamente!

Amar só por amar: aqui... além...

Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente...

Amar!   Amar!   E não amar ninguém!

………………………………. 

  

     Você que já amou ou está pronto(a) para amar gostaria de saber a sua opinião sobre este assunto, tão premente na actualidade.

 

     Boa escola e fiquem bem…. (como dizia um amigo meu).

 

     Muitos loves……

 

 

  Nelson Camacho D’Magoito

 

Estou com uma pica dos diabos: Um professor
música que estou a ouvir: L'ove Got My Love de Frank Sinatra
publicado por nelson camacho às 19:18
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De João Videira Santos a 21 de Setembro de 2008 às 18:13
Ser diferente não pode, nem deve ser questão para complexo. Todos somos dignos de respeito, desde que a nossa liberdade não confronte outras e estas o nosso propósito de vida. Abraço
De nelson camacho a 22 de Setembro de 2008 às 04:21
Obrigado por ter vindo até cá. Estou totalmente de acordo com o seu comentário. Eu costumo dizer que " Não se deve ter medo de ser diferente " ó obvio desde que não interfira com a liberdade dos outros.
Um abraço para si também

Comentar post sem tretas

.No final quem sou?

.pesquisar

 

.Fevereiro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. Namorados

. A Intrusa

. Sábado chato para um amig...

. Um Recado

. As Borboletas

. Estou na prisão do tempo

. As minhas procuras no Nat...

. Pequenas coisas

. A história do Pátio do Ca...

. Finalmente libertei-me.

.arquivos

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Janeiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.tags

. todas as tags

.favorito

. Sai do armário e mãe pede...

. Eurovisão

. Depois de "All-American B...

. Raptada por um sonho ...

. Crónica de um louco senti...

. Terminei o meu namoro!!‏

. Dois anjos sem asas...

. Parabéns FINALMENTE!!!!

. Guetos, porque não?

. “Porque razão é preciso t...

.A Tua visita conta

web counter free

.Sempre a horas para criticar

relojes web gratis

.Art. 13, n.º 2 da Constituição

Ninguém pode ser privilegiado, benificiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou orientação sexual.
blogs SAPO

.subscrever feeds