Sábado, 27 de Outubro de 2012

Deus ajudou Luís e Beauté nesta hitória de amor

Luis_Borges -Eduardo_Beauté - Nelson_Camacho

Il Misttero Dell’Amore

Finalmente a felicidade total mora em casa do Luís & Beauté.

 

     Já por aqui falei nestes homens com H Grande e quando há uma notícia feliz emanada pelos nossos tribunais há que não escamotear a mesma.

 

     O tribunal de Família e Menores do Barreiro finalmente atribuiu aguarda definitiva de um bebé de terceiros a este casal.

     O manequim Luís Borges e o cabeleireiro Eduardo Beauté já detinham legalmente a guarda provisória de bebé Bernardo, um menino de ano e meio que sofre de síndrome de Down, conseguindo agora a plenitude da responsabilidade parental.

     A decisão do Tribunal levou em conta a forma exemplar como Borges e Beauté têm cuidado do menino, desde que o acolheram em Agosto do ano passado, e os desejos da mãe da criança, que não tem condições para criar o filho como deve ser.

     Nos termos da sentença, o pai de Bernardo, que está preso, fica afastado de todas as questões de particular importância para a vida do menino e só poderá estar com ele depois de sair da cadeia, em 2015, e sob vigilância, quanto à mãe, poderá vê-lo em dias combinados com Luís Borges e Beauté.

     Quando a notícia foi dada, Luís Borges, encontrava-se Nova Iorque por motivos profissionais, acompanhou a decisão do tribunal à distância e expressou a sua alegria escrevendo no Facebook: “E hoje é um dos dias mais felizes da minha vida... Obrigado, Deus, por existires!”.

 

     Ao casal, as minhas maiores felicidades, amor e saúde para criares o Bernardo.

 

Para vocês aqui fica uma história de amor (um menino que descobre a verdadeira amizade ao encontrar um novo amigo) na voz de Andrea Bocelli.

Nelson Camacho
Estou com uma pica dos diabos: Estou feliz
música que estou a ouvir: Il Misttero Dell'Amore
publicado por nelson camacho às 21:00
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 23 de Outubro de 2012

De onde me vem esta raiva – O país vai de carrinho

o canto do nelson - Nelson camacho -

      É mais uma manhã como qualquer outra desde que o governo de Passos Coelho tomou conta do meu país. “Uma merda”

 

     Eram oito da manhã e sem necessidade do despertador acordei pela terceira vez esta noite. Tinha-me deitado às três da manhã com um copo de leite no bucho, pois estive entretido a houver um filme na televisão. Diga-se de passagem que é a única hora, - da uma às três que as televisões transmitem algo de entretenimento para o meu gosto-. Até então ou são historias de cordel ou realtis shows que só empobrecem qualquer cidadão com dois dedos de inteligência.

     Como disse, tinha-me deitado com um copo de leite no bucho para enganar a fome pois a última refeição tinha sido às vinte horas enquanto assistia ao tele jornal da RTP1. Tinha comido o conteúdo de uma lata de atum com uma batata cozida que tinha sido guardada do almoço.

     O meu médico diz-me que derivado aos diabetes, tenho de me alimentar com uma alimentação saudável e de duas em duas horas. Ele não sabe é que para isso é preciso dinheiro e com duzentos euros por mês, depois de pagar a água, a luz o gaz e os remédios o que fica é para umas latas de sardinhas e ou de atum, umas batatas e uns litros de leite. O peixe se for uma vez por mês, já fico satisfeito, a carne, nem vê-la. Também não faz muita falta porque não posso mastigar por não ter dentes e a Segurança Social não comparticipa.

      Depois de me levantar e porque ontem, dia que recebi a reforma, fui comprar um pacote de Nestum com Mel que custou um euro e trinta e vai dar pelo menos para o peque-almoço de quinze dias. Estava a aquecer um pouco da água para lavar o prato da véspera quando acabou o gás. Telefonei para distribuidora para mandar vir uma botija de 13 kg e perguntei quanto custava: - Meu amigo, isso aumentou! Agora custa vinte e seis euros. Fiquei lixado mas teve de ser, mandei vir!

     Acabei de lavar a loiça com égua fria, aqueci o leite no micro-ondas, fiz a papa e deu-me na real gana, vir teclar este meu desabafo.

     A quando do 25 de Abril abriram-se os horizontes para uma democracia partilhada e o caminho para o socialismo, com educação e assistência na doença caminhando para a gratuitidade. Depois vieram os partidos cada um puxando a brasa à sua sardinha. Alguns até andaram saltando de partido em partido para ver onde conseguiam um tacho maior. Criaram-se governos que logo caíram, porque em casa onde não há tacho todos trepam e o povo é que se lixa.

     Depois veio o Mário Soares, (lembro-me quando chegou a Santa Apolónia ter dito “venho para ser Presidente”) e foi! Foi para entregar as nossas ex Colonias de mão beijada e mais tarde para nos inserir na máfia da Europa.

     De ai para cá tem sido uma guerra bofe de corridas entre partidos para ver quem se aproveita mais do Zé Povinho. São as auto estradas, (somos o país com mais auto estradas de metro quadrado por cidadão do mundo), as PPP’s, é a degradação do estado de saúde, sãos os carros de alta cilindrada distribuídos pelos Boys que pululam nos ministérios sem fazerem seja o que for. É Máfia dos bancos que cada um rouba para seu lado. São os Clubes de futebol que devem milhões mas continuam a distribuir fabulosas fortunas por alguns jogadores enquanto outros estão à beira da falência.

     Este governo e outros transatos tem delapidados este país à beira mar plantado. A agricultura, acabou, nas pescas não há barcos, na saúde que seria tendencialmente gratuita é cada vez mais cara. A educação é obrigatória mas não há condições económicas para se poder estudar. Os cursos técnico-profissionais acabaram. Agora todo teem que ter um canudo de um qualquer curso sem saída para o emprego. As novas tecnologias foram obrigadas a entrarem nas escolas através de um contrato de milhões chamado Magalhães. Industria de primeira linha como os estaleiros navais são atirados para o abandono. Na área do grande Porto onde havia as grandes industrias, está tudo desativado com milhares de famílias no desemprego. Na área da grande Lisboa (Capital do país) tendencialmente dedicada aos serviços, (sempre se disse que o Porto trabalhava e Lisboa vendia) hoje é onde se trama a forma de lixar o meu país. É a corrupção é o roubo autorizado. É onde se movimentam os gangues estrangeiros que corridos dos seus países encontraram aqui o el dourado.

Desde então para cá, sãos os assaltos à mão armada, são os assaltos aos bancos e caixas do multibanco, são os assassinatos por encomenda são a máfia na prostituição. O deambular pelos bares das noites de Lisboa, Porto e outras cidades, de mafiosos, ladrões e assassinos que por dá cá aquela palha matam a tiro ou a facada um qualquer menos precavido que só foi passar umas horas de divertimento numa daquelas casas e se encontra no sítio errado há hora errada.

     É entrar, é entrar vilanagem. Nós, um povo sereno com um governo corrupto abre-lhes os braços à conta da liberdade e da livre emigração e imigração. O Povo continua a ser roubado e atacado já não só pelos nossos governantes como por esta corja de povos em nossas casas, na rua ou numa simples noite de divertimento.

 

5 de outubro 2012 protesto do povo - nelson camacho

     Hoje com 77 anos de idade, dá-me o direito de publicitar estes meus desabafos, que são os desabafos do povo. Sempre trabalhei numa ou noutra profissão e desde os meus 15 anos, já lá vão 62.

Sempre acreditei, principalmente após o 25 de abril de 74 que a vida iria melhorar, embora até então ela não me tenha sido madrasta pois fruto do meu trabalho sempre ganhei ordenados superiores às médias de então.

As promessas foram muitas foi feita uma nova Constituição onde constam só coisas boas mas que os governos, principalmente o atual de Passos Coelho, tem atropelado aseu belo prazer. Desculpando-se das gestões dos governos anteriores e de o povo ser gastador.

     Sá Carneiro (o primeiro Primeiro-Ministro a ser morto no pós 25 de Abril) decretou no Decreto-Lei n.º 496/80 de 20 de outubro diz no artº 17 da Lei. “Os subsídios de férias e de natal são inalienáveis e impenhoráveis”. 

Com um desrespeito total pela constituição da Republica o sr. Passos Coelho e seus apaziguados vieram abolir esta benesse devidamente decretada, em nome de uma troika que eu não chamei.

     Comprar coisas no Natal, oferecer um presente a meus filhos em dia de anos ou dar uns passeios ao fim de uma vida de trabalho, foi chão que deu uvas. Já não tenho carro, o último, vendi-o em 1998 por cem euros e como o comprador ainda não o passou para seu nome, ainda consta como meu nas finanças, agora sou obrigado a pagar cento e tal euros do selo que não foi pago e sujeito a fazerem-me a penhora à reforma. Vai ser lindo!

     A casa, fui obrigado a entregar ao banco e vivo numa casa arrendada que me come metade da reforma. Como ganho um pouco acima do ordenado mínimo nacional passei a ser obrigado a pagar taxas moderadoras independentemente de ser diabético.

     Há um ano abriu mesmo ao meu lado uma farmácia, ainda não entrei lá, pois não tenho dinheiro para os remédios que sou obrigado a tomar. Por vias dessa situação já fui parar de charola ao hospital, mais tarde veio a conta. Ainda não tive dinheiro para a liquidar. Vai ser giro quando me apresentarem novamente a conta com a respetiva multa.

     Entretanto o governo prepara-se para um novo orçamento do estado para 2013 e tudo em nome de uma divida que o povo não fez lá estão mais cortes nos nossos ordenados e subsídios. Aumento desmesurado dos impostos independentemente dos próprios deputados de uma coligação que já não existe e de ex. presidentes da república virem para a praça pública dizerem estarem contra tais aumentos da carga fiscal, sendo a última a carga no IRS, ser inconstitucional. (leia-se o Artigo 104 ponto 1. O imposto sobre rendimento pessoal visa a diminuição das desigualdades e será único e progressivo tendo em conta as necessidades e dos rendimentos do agregado familiar)

Entretanto o sr. Primeiro-ministro prepara-se para aumentar as despesas do estado em milhares de euros para 2013 contrariamente ao que disse ir cortar nas despesas do estado.

     Este governo não só atenta contra a constituição como é mentiroso.

     Onde é que estão os cortes na despesa?

     O que é que vai fazer sobre funcionários de certas empresas que recebem subsídios diários por aparecerem no trabalho (vulgo subsídios de assiduidade)?

     E os negócios das autoestradas onde por lá já só passam por dia, meia dúzia de carros.

     Quando é que acabam com as regalias insultuosas para os deputados, eleitos pelo povo crédulo, que vão sentar os seus reais rabos (quando lá aparecem) para vomitar demagogias em que já ninguém acredita?

 

Pobreza em portugal- ruas de lisboa- passos coelho

    O povo já não aguenta mais as barbaridades deste governo.

    Nós queremos trabalho e não voltar ao tempo da sopa dos pobres.

    Não queremos, pelo menos eu, acabar com os ricos, mas acabar com os pobres.

    Nós queremos que se cumpram as promessas do 25 de Abril.

    Se necessário, faremos outro para que a Constituição seja cumprida e os ideais de Abril sejam uma realidade.

    Este governo matou-nos a esperança. Não me quero ir embora e deixar o meu país entregue a ladrões de pessoas, bens e dignidade.

    Não quero o meu país entregue a estrangeiros que com a liberdade de movimentação na europa façam escola aos mais novos de como se assalta uma caixa multibanco ou se compra uma empresa que tem a nossa bandeira, como a TAP c CGD ou a EDP.

    Quando me obrigarem a ir embora, levo os meus filhos, mulher e amigos mas levamos também os nossos impostos e vocês que se lixem pois o “O país vai de carrinho”

Nelson Camacho
Estou com uma pica dos diabos:
música que estou a ouvir: O país vai de carrinho
publicado por nelson camacho às 19:01
link do post | comentar | favorito
|

Passos Coelho atropela a Constituição

Passos Coelho

     Nem mesmo com as justas manifestações do povo em que já não tem por onde apertar o cinto

     Nem mesmo com a falta de emprego de milhares de portugueses

     Nem mesmo com a fome que já atinge uma boa parte da classe média.

     Nem mesmo com o atentado è classe menos protegida – reformados e pensionistas doentes – que já não têm dinheiro para comprar os seus medicamentos.

     Nem mesmo verificando-se que há milhares de portugueses que são obrigados a entregar as suas casas aos bancos por falta de orçamento famílias.

     Nem mesmo quando as nossas crianças já passam fome, fome de alimentação e fome de cultura por má gestão do ensino que devia ser gratuito.

     Quando os desgraçados dos reformados já evitam ir ao médico derivados a taxas moderadoras escandalosas.

     Quando são os próprios políticos da coligação que não se entendem.

     Quando temos um Presidente da república que compartilha sabe-se lá porquê, com as atrocidades emanadas deste governo.

     Quando são os próprios políticos e ex. Presidentes da Republica veem à praça publica dizerem não estarem de acordo com as propostas para o novo orçamento do Estado.

     É o Sr. Passos Coelho e seus apaziguados a desrespeitarem a Constituição da Republica.

     O mais recente escândalo é a nova fórmula do IRS.

     Já não bastava o corte nos subsídios de féria e natal desrespeitando o Decreto-Lei n.º 496/80 de 20 de outubro artº 17 em que diz: “Os subsídios de férias e de natal são inalienáveis e impenhoráveis”. 

     Para os menos elucidados da nossa Constituição tirarem dela as suas elações, aqui fica o Artigo 104 que diz respeito aos impostos.

Título IV

Sistema financeiro e fiscal

 

Artigo 104

Impostos

 

     1. O imposto sobre rendimento pessoal visa a diminuição das desigualdades e será único e progressivo tendo em conta as necessidades e dos rendimentos do agregado familiar.

2. A tributação dos impostos incide fundamentalmente sobre o seu rendimento real.

3. A tributação do património deve contribuir para a igualdade entre os cidadãos.

4. A tributação do consumo visa adaptar à estrutura do consumo à evolução das necessidades do desenvolvimento económico e da justiça social, devendo onerar os consumos de luxo.

 

Meus amigos, este é um desabafo de um português igual a milhares de outros que não têm voz.

 

Nelson Camacho
Estou com uma pica dos diabos:
música que estou a ouvir: A Morte saiu à rua
publicado por nelson camacho às 04:03
link do post | comentar | favorito
|

Emmanuelle – Sylvia Kristal Faleceu a 17 de outubro

Sylvia Kristel em Emmanuelle

Faleceu a uma das minhas estrelas favoritas

 

     Até ao 25 de abril de 74 o país por falta de liberdade de expressão estava um pouco escuro. Os textos dos jornais, nos livros e no teatro eram censurados pelos senhores de fato preto que com um lápis azul cortavam o que a seu ver entendiam que o povo não tinha direito a saber. Quanto aos filmes, também estes eram revistos antes de serem exibidos, bastava terem o cunho de erótico ou pornográfico para serem imediatamente cortados no entanto, havia um mercado paralelo de filmes e revistas porno eróticas. Para quem gostava do tema chegava a mandar vir revistas e filmes do estrangeiro.

     Veio o 25 de Abril de 74 e as portas ficaram escancaradas para tudo e todos, assim, também o cinema entrou livre nas grandes salas de espetáculo é assim que vimos pela primeira vez filmes eróticos, tais como “Garganta Funda” e “Emmanuelle”.

     “Emmanuelle” é o um filme erótico baseado numa história inspirado no romance homônimo de Marayat Bibidh Andriane tendo este sido dirigido pelo francês Just Jaeckin. O s interpretes principais da trama são Alain Cuny, Marika Green e Sylvia Kristel como protagonista principal.

     Emmanuele é uma rapariga de vinte anos que se vai juntar ao seu marido, diplomata em Bangkok. Este jovem casal professa a liberdade reciproca… Durante a viagem, a jovem mulher entrega-se sucessivamente a dois passageiros do avião. Quando chega a Bangkok, depara-se com um mundo frívolo e depravado.

     A atriz holandesa Sylvia Kristel, atualmente com 60 anos e casada com com o escritor Hugo Claus, com quem teve o filho Arthur, já em junho tinha sido internada em um hospital de Amestrardão onde passou a fazer tratamentos a um cancro na garganta.

     Sylvia Kristel iniciou sua carreira como modelo juvenil, sendo escolhida Miss TV Europe em 1972, tornando-a conhecida nos bastidores do universo do cinema. A atriz destacou-se  também como Lady Chatterley na adaptação para o cinema do romance de D. H. Lawrence, e como Mata Hari no filme homônimo sobre a vida da espiã.

     Foi na década de 1970, que enfrentou problemas de dependência de drogas e álcool e em 2003, descobriu um câncer de garganta do qual chegou a recuperar.

     Há pouco mais de um ano, em abril de 2011, Sylvia confessou que gostaria ter um "pequeno papel" na versão 3D que está sendo feita do filme, e disse que desejava continuar na carreira de produtora, após ter dirigido em 2008 o curta-metragem de animação "Topor et moi".

     Sylvia Kristel que ficou famosa como protagonista do primeiro filme erótico "Emmanuelle", de 1974, morreu na noite de quarta-feira (17 outubro) , durante o sono.

 

 Nelson Camacho

Estou com uma pica dos diabos:
música que estou a ouvir: Blake Emmanuelle
publicado por nelson camacho às 01:40
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 20 de Outubro de 2012

Poemas para degustar III – Aquela sombra

poema aquela sonbra nelson camacho

 

     Tinha parado a chuva. A temperatura estava amena 17 º e no meu quintal o sol lá ao longe dava sinais que ia passar para o outro lado. Como tinha o fato de treino vestido a ainda não tinha saído de casa, deu-me na veneta e fui até à praia dar uma corrida, não ao horizonte onde a Sol começava a descer, mas ao longo da praia. Estava deserta, mas lá bem ao fundo uma silhueta também corria em sentido contrario. Não via bem pois o sol não o permitia. O que via era uma sombra. Uma sombra que me pareceu reconhecer. Fiz-lhe um adeus pois parecia um amigo que já não via a algum tempo.

     O sol foi descendo no horizonte a pessoa que eu julgava ser aproximou-se mais e verifiquei que não era quem eu esperava.

 

                    Aquela sombra

 

 Era aquela sombra

que eu bem procurava,

que há tempo buscava

buscava, buscava

sem nunca encontrar

 

Vi aquela sombra

segui-a, segui-a.

Era escura a noite.

Vinha longe o dia.

 

e eu buscava a sombra

e a sombra fugia

 

Uma luz acesa

cedeu-me a certeza…

 

Nessa silhueta

que a luz recortava

vi aquela sombra,

que eu bem procurava

 

Depois, veio a treva

e a sombra fugiu

P’ra onde fugiu?

Porque é que fugiu?

 

E eu não atinava

e eu não atinava

 

Mas eu bem sabia,

 

Que era aquela sombra

que eu bem procurava.

 

 

 

 

 Nelson Camacho

Estou com uma pica dos diabos:
música que estou a ouvir: Noturno n.1 Si Bemol (Chopin)
publicado por nelson camacho às 04:25
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 17 de Outubro de 2012

Poemas para degustar II - Amor eterno

corpos na penumbra - amor eterno - nelson camacho

     Depois do almoço fui até à praia. Estava tomando café quando de repente duas mesas mais ao lado pereceu-me ver uma pessoa que já há muito não via.  Apanhei um susto. O meu coração bateu apressadamente, mas quando essa pessoa se voltou, não era quem eu esperava.

     A minha cabeça fervilhava de recordações. Peguei na caneta e escrevi este poema.

 

Amor eterno

(É como uma doença)

 

Quando me perguntam

Se ainda te desejo

Se os anos ajudaram a esquecer

Se recordo o teu olhar

O teu sorriso

A figura do teu corpo até a caminhar

Se á minha vida não chegou outro amor

Para ocupar o teu lugar

Digo-te

Esse amor ainda não foi encontrado

É difícil porque eu nunca te esqueci

Não é que viva de lembranças

Conheço bem a realidade

Aconteceu, não foi um sonho

Fui feliz, e é verdade

 

Faz parte da minha vida

Vem por momentos

Vai com os pensamentos

E nas horas de tristeza de solidão

Sinto que esse amor ainda existe

E sinto que me dá amor eterno

Faz parte da minha vida

E por consequência

Choro a tua ausência

E se me perguntares até quando vai durar

Para dizer a verdade

Tenho de responder

É em amor eterno, difícil de acabar.

 

 

Magoito 16de Outubro de 2012

 Nelson Camacho

 

Estou com uma pica dos diabos: com saudades
música que estou a ouvir: Moon River (Richard Clayderman)
publicado por nelson camacho às 05:44
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 12 de Outubro de 2012

Uma História de amor

                                                           

Justiça - O Canto do nelson - nelson_camacho

 

 

A nossa justiça continua a discriminar os homossexuais

 

 

     Os parlamentares dos partidos PSD, CDS e PCP, que até têm telhados de vidro continuam a discriminar os casais homossexuais casados numa total homofobia por ainda até hoje não consentirem a adoção de crianças e só porque se casaram.

     Porque no ato de adoção ninguém pergunta ao adotante se for solteiro, viúvo ou divorciado a sua orientação sexual há por aí muitos (até figuras publicas) que adotaram crianças e são tratados como filhos independentemente de dormirem com pessoas do mesmo sexo, só que não são casados uns com os outros.

     É a hipocrisia do sistema.

 

Eduardo Beauté - Luis Borges - Bernardo - Nelson Camacho

 

     Estão de Parabéns

     Um Juiz da Comarca do Barreiro, o cabeleireiro Eduardo Beauté e o modelo Luís Borges, ao conseguirem uma solução para uma criança de dois anos com trissomia 21 que está a ser criado como se fosse adotado de pleno direito.

 

     Uma história de amor:

     Ainda há Juízes que do alto do seu poder absoluto e em nome do amor entre pessoas, decretam soluções que só lhes dignifica a sua posição como magistrados e homens. Foi o caso de um Juiz do Tribunal de Família e menores do Barreiro ao decretar a guarda e educação de uma criança de dois anos e com doença grave ao cabeleireiro Eduardo Beauté e ao modelo Luís Borges.

     Na prática tratou-se de decretar um apadrinhamento civil, uma vez que a adoção em Portugal está vedada a casais do mesmo sexo só porque estão casados. Se fossem solteiros, viúvos ou divorciados, ninguém lhes perguntava a sua orientação sexual e já podia adotar. São as Leis homofóbicas que imperam no nosso país.

Parabéns ao Sr. Juiz e a Eduardo Beauté e a Luís Borges.

 

 Nelson Camacho

Estou com uma pica dos diabos:
música que estou a ouvir: Vendaval passou (tony de matos)
publicado por nelson camacho às 01:54
link do post | comentar | favorito
|

.No final quem sou?

.pesquisar

 

.Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. A busca de ser importante...

. Palavras de Hitler

. Um dia, num lar de idosos...

. Eu era homofóbico

. A prostituição mora no Pa...

. Um amigo colorido

. Namorados

. A Intrusa

. Sábado chato para um amig...

. Um Recado

.arquivos

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Janeiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.tags

. todas as tags

.favorito

. Sai do armário e mãe pede...

. Eurovisão

. Depois de "All-American B...

. Raptada por um sonho ...

. Crónica de um louco senti...

. Terminei o meu namoro!!‏

. Dois anjos sem asas...

. Parabéns FINALMENTE!!!!

. Guetos, porque não?

. “Porque razão é preciso t...

.A Tua visita conta

web counter free

.Sempre a horas para criticar

relojes web gratis

.Art. 13, n.º 2 da Constituição

Ninguém pode ser privilegiado, benificiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou orientação sexual.
blogs SAPO

.subscrever feeds