Segunda-feira, 16 de Janeiro de 2017

Estou na prisão do tempo

O tempo passa silencioso.

Cada segundo é um minuto, cada minuto é uma hora, cada hora é um dia, cada dia é um mês e as grilhetas do tempo vão apertando cada vez mais e cada ano nada mais é que parecendo uma eternidade nada mais é que um lapso de tempo. Já me esqueço em que dia estou e nem a noite que se vai juntando uma a outra me vai lembrando em que dia estou.

Ninguém bate à porta e o telefone não toca, só o carteiro suavemente (parece que tem medo de me incomodar) periodicamente coloca na ranhura respetiva as cartas que nada mais são que contas para pagar,

Se estivesse com uma pulseira eletrónica mandada colocar por qualquer juiz como pena de algo que tenha feito como prisão preventiva não seria tão doloroso como esta prisão do tempo.

Os amigos verdadeiros já cá não estão – estão prestando contas a Deus – e familiares os que não estão na mesma situação, dizem que já não existo.

No ano que passou tentei encontrar o Pai Natal mas não o encontrei. Valeram-me uns parcos amigos para colmatar esta solidão que me atormenta. Estiveram presentes no dia em que a família seria suposto juntarem-se. Foi uma boa noite. “A Noite do faz de contas”. Depois!.. Sim porque há sempre um depois, ficou tudo na mesma. As quatro paredes cada vez mais apertadas já nem deixam espaço para abrir o baú das recordações. Há uma pequena caixa que ainda está entreaberta de onde saltam momentos de uma pequena felicidade encontrada mas que foi sol de pouca dura. Talvez com os Reis Magos que em tempos encontraram o promissor da felicidade venha neste tempo que já não tenho tempo volte essa promessa de uma noite de pinta à volta de uma mesa no “Pinta”. Naquela noite fizeram-se promessas, os olhos brilharam e aceitaram-se compromissos liberais. Não foi o Pai Natal mas um Menino Jesus que como outros meninos jesus têm um projeto de vida onde eu estria incluído.

As grilhetas são tão fortes que nem as promessas de liberdade foram cumpridas. O menino vai continuar a crescer como se nada tivesse acontecido e a solidão vai continuar. Pode ser que os Reis Magos descubram outro menino sem grilhetas e finalmente nos traga a felicidade com que o mundo espera. Oh…Como seria bom ser o mesmo e as guerras terminassem para haver paz entre os homens e a palavra amor fossa uma constante.

Qualquer semelhança com factos reais é mera coincidência, ou não! O geral ultrapassa a ficção

              Nelson Camacho D’Magoito

        “Contos ao sabor da imaginação” (302)

               Para maiores de 18 anos

                   © Nelson Camacho
2017 (ao abrigo do código do direito de autor)

Estou com uma pica dos diabos:
publicado por nelson camacho às 13:58
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 4 de Janeiro de 2017

As minhas procuras no Natal de 2016

Eu queria encontrar o Pai Natal.

Eu queria tranquilidade.

Eu queria ter alguém a meu lado que para além de me fazer um “cafuné”, me desse a tranquilidade de companheirismo.

 Eu queria namorar em casa e não num café ou em qualquer um jantar.

Porque cada um tem direito a fazer a sua vida privada eu não queria que o pai natal fosse só meu. Não uma repartição de afetos pois entendo que cada “macaco no seu galho” mas o tal companheirismo, embora esporádico.

Eu não queria chegar a casa à noite e ficar no sofá frente à televisão aceitando entrar-me ecrã dentro o que eles querem (tenho direito a escolhas)

Ainda sou dos que aceitam a partida a meio da noite.

Um dia ou uma noite por outra, eu queria dormir juntinho e transar sem stresse 

Eu queria falar de bobagem e contar umas anedotas picantes.

Eu queria fazer programas de casal com idas ao teatro, ao cinema ou a uma exposição.

Eu queria beijar uma boca sedenta eu queria sentir o cheiro do banho recém-tomado e com as velas acesas no quarto brincar por baixo do edredom.

Eu queria dormir de conchinha olhar no olho e nos entendermos.

Nas férias, percorrer em corrida os corredores de um hotel direitos a piscina.

 Eu queria receber momentos românticos.

Eu queria momentos memoráveis e confiar cegamente naqueles olhos brilhantes.

Eu não queria, já o disse: “eu amo-te” com sinceridade.  

 Afinal de contas quem precisa de paixão? O que nós precisamos é de amor verdadeiro e incondicional.

No final de contas já tinha encontrado o Pai Natal só que não é só meu.

Também não queria.

 

Qualquer semelhança com factos reais é mera coincidência, ou não! O geral ultrapassa a ficção

              Nelson Camacho D’Magoito

        “Contos ao sabor da imaginação” (302)

               Para maiores de 18 anos

                   © Nelson Camacho
2016 (ao abrigo do código do direito de autor)

publicado por nelson camacho às 18:32
link do post | comentar | favorito
|

.No final quem sou?

.pesquisar

 

.Fevereiro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. Namorados

. A Intrusa

. Sábado chato para um amig...

. Um Recado

. As Borboletas

. Estou na prisão do tempo

. As minhas procuras no Nat...

. Pequenas coisas

. A história do Pátio do Ca...

. Finalmente libertei-me.

.arquivos

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Janeiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.tags

. todas as tags

.favorito

. Sai do armário e mãe pede...

. Eurovisão

. Depois de "All-American B...

. Raptada por um sonho ...

. Crónica de um louco senti...

. Terminei o meu namoro!!‏

. Dois anjos sem asas...

. Parabéns FINALMENTE!!!!

. Guetos, porque não?

. “Porque razão é preciso t...

.A Tua visita conta

web counter free

.Sempre a horas para criticar

relojes web gratis

.Art. 13, n.º 2 da Constituição

Ninguém pode ser privilegiado, benificiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou orientação sexual.
blogs SAPO

.subscrever feeds