Terça-feira, 25 de Outubro de 2011

Orçamento do Estado

Oliveira Salazar

Salazar volta está perdoado

 

Escuso-me a tratar aqui o orçamento do estado proposto pelo vosso primeiro-ministro, e digo vosso porque eu não votei nele. É um orçamento que só visa tirar ao desgraçado do português trabalhador e até aos desempregados parte da sua fonte de rendimento. Na sua declaração para as TVs nunca foi anunciado uma forma de progressão com vistas ao desenvolvimento para a exportação ou até para o consumo interno.

Passos Coelho no inicio do seu mandato sempre disse que não iria deitar as culpas aos antigos governos, mas agora, vem dizer que o défice é por culpa dos antigos governantes.

Diz-se que o que está feito, está feito e agora o que é preciso é pagar as dívidas que os senhores de todos os governos desde o 25 de Abril teem andado a fazer.

Agora quem vai pagar sou eu e você. Reformados e pensionistas com reformas de vergonha.

Não bastava aumentarem o IVA nos produtos de primeira necessidade, inclusive os remédios, e a assistência na saúde e o leite alimento imprescindível para as nossas crianças e pessoas de terceira e já quarta idade.

É a electricidade, a água, o gás e o imposto “especial” subsidio de férias e natal sobre os desgraçados dos reformados, inclusive aos que ganham até os quinhentos euros.

Vamos fazer contas: a uma reforma de 500,00 euros, retirando deste valore a renda de casa actual que ronda os 350,00 euros, mais a electricidade, o gás, á água e o telefone, quanto fica para a mercearia e remédios? Não falando de outras despesas inerentes à sobrevivência de um idoso.

Mas que culpa tenho eu e você da mer…. que os senhores políticos andaram a fazer e se propõem fazer para os meus filhos virem a pagar?

- Trabalhar mais horas? Mas eu sempre trabalhei 48 horas por semana.

- Sem subsídio de Natal e férias? Mas eu trabalhei durante anos sem esses subsídios.

- Com menos auto-estradas? Mas eu percorri o Portugal inteiro e estrangeiro de carro e cheguei sempre ao meu destino.

- Não tinha TV de cabo? Mas também só posso ver um canal de cada vez.

- Não tinha telemóvel? Mas sempre contactei telefonicamente as as minhas amigas, amigos e familiares quando necessitava.

- Não tinha internet? Também não havia, mas haviam livros e compêndios que se podiam comprar, por isso, hoje tenho uma centena de livros.

 

Com base nisto tudo, sempre tive trabalho e quando me chateava com um patrão, na mesma rua encontrava logo outro trabalho.

Pode dizer-se que o tempo era outro e não havia tantas benesses como existe hoje. É verdade, mas no meu tempo, com o equivalente hoje a 3 euros (500,00 Escudos) depois de sair do trabalho ao sábado ia a casa tomava banho, vestia roupa nova e só voltava no domingo á noite e às vezes até na segunda às seis da manhã, vestia a roupa de trabalho e lá ia eu, porque entrava às oito.

Durante esses fins-de-semana, almoçava, jantava, tomava o pequeno-almoço, ia ao cinema ou ao teatro e ainda dava para dormir com uma prostituta. Velhos tempos.

É obvio que os tempos são outros mas não sei até que ponto! Os meus filhos foram habituados ao trabalho e ao estudo e divertimentos quanto bastava. Nunca passaram as noites até às seis da manhã na galderisse, pois essa é a hora de se levantarem para o trabalho. Hoje são rapazes formados mas nunca souberam o que era passarem uns fim-de-semanas livres de tudo e de todos como eu fiz no meu tempo, porque o dinheiro, depois de termos entrado para o Euro esse nunca chegava.

O Estado actual quer manter as gorduras dos seus pares e prevalecer a roubalheira indionda na administração pública, na justiça, e na banca

Ainda não ouvi uma medida acertada como vamos aumentar as nossas produções.

Não é com mais meia hora de trabalho diário a custo zero que vamos produzir mais.

Não é criando novos doutores disto e daquilo que vamos produzir mais.

Não é cortando nos subsídios dos reformados com reformas de miséria, que vamos produzir mais.

Não é abatendo as pescas como fizeram a mando da CEE que vamos produzir mais.

Não é não incentivando a agricultura que vamos produzir mais

Não é criando cotas de fabricação, apanha, ou criação de produtos, amando da CEE que vamos produzir mais.

Não é apertando o cerco com impostos ao médio e pequeno empresário, agricultor ou pescador que vamos produzir mais para sermos auto-suficiente.

Quem manda na tão falada Comunidade Europeia está-se nas tintas para Portugal. De um lado temos a Espanha e do outro temos o mar. Estamos no cú de Europa e só nos falta dar um mergulho e ir lá abaixo, tirar a rolha e este pais à beira mar plantado ir ao fundo e toda acosta atlântica ficar para a Espanha e nessa altura vão ver como estes a aproveitam.

 

Antes que isso aconteça é preciso que a juventude de hoje, os sacrificados de amanhã arregacem as mangas se dediquem ao trabalho digno com ideia novas e sem estarem submetidos aos senhores do capital que nos teem andado a roubar e agora chamam-lhes deles.

 

Se querem ser alguém num amanhã, em vês gastarem o dinheiro dos vossos pais nas discotecas, ocuparem as noites na boa-vai-ela e na droga ocupem esse tempo conjuntamente com outros colegas discutindo a crise do país, as sua causas e tentem encontrar soluções. Portugal está nas vossas mãos.

Não se esqueçam que: Quem dá não pode dar sempre e quem precisa, precisa sempre.

 

Um até já

 

  Nelson Camacho D’Magoito

Estou com uma pica dos diabos: cada vez mais pobre
música que estou a ouvir: Eles comem tudo eles comem tudo
publicado por nelson camacho às 08:06
link do post | comentar | favorito
|

.No final quem sou?

.pesquisar

 

.Fevereiro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. Namorados

. A Intrusa

. Sábado chato para um amig...

. Um Recado

. As Borboletas

. Estou na prisão do tempo

. As minhas procuras no Nat...

. Pequenas coisas

. A história do Pátio do Ca...

. Finalmente libertei-me.

.arquivos

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Janeiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.tags

. todas as tags

.favorito

. Sai do armário e mãe pede...

. Eurovisão

. Depois de "All-American B...

. Raptada por um sonho ...

. Crónica de um louco senti...

. Terminei o meu namoro!!‏

. Dois anjos sem asas...

. Parabéns FINALMENTE!!!!

. Guetos, porque não?

. “Porque razão é preciso t...

.A Tua visita conta

web counter free

.Sempre a horas para criticar

relojes web gratis

.Art. 13, n.º 2 da Constituição

Ninguém pode ser privilegiado, benificiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou orientação sexual.
blogs SAPO

.subscrever feeds