Terça-feira, 28 de Fevereiro de 2012

Pobreza nas ruas de Lisboa

Nelson Camacho no casino do Estoril

Meus Deus!... Estou farto!...

 

     Um dia por insistência de uma amiga – até foi ela que me inscreveu -aderi ao facebook com o pseudónimo de Tio Nelson76.

     Como tinha muitas amigas e amigos e como eu era bastante conhecido no seu meio como “Tio Nelson” assim fiquei, escondendo o meu verdadeiro nome, as minhas ideias e a minha forma de estar na vida pois poderia ferir os seus amigos. Consenti e comecei a dar os meus bitates em relação à vida que nos rodeia, Publiquei uma coisas engraçadas mas nunca fui receptivo no sentido da discussão. Era sempre, Gostei, Que giro. Novos amigos… nicles... Fiquei farto e resolvi acabar com a treta. Escrevi um texto com sumo e despedi-me antes de ser despedido.

     Fica aqui na integra a minha carta de despedimento matando o Tio Nelson76.

 

     Como nunca me escondi nem tenho necessidade de o fazer, abri uma página no Facebook com o meu nome “Nelson Camacho D’Magoito” onde vou contar a minha história como cantor e onde se quiserem me podem encontrar. O Canto do Nelson vai continuar e também lá estará.

 

      Porque estamos numa de saudades pela partida à vinte cinco anos do grande José Afonso, lá para o fim também fica uma das sua emblemáticas canções, infelizmente sempre actuais, “ A Morte Saiu a Rua.”

 

ocantodonelson

 

 

Carta de despedida do Tio Nelson76

 

 

 

 

Pobreza em Lisboa, como eu a vi

“Hoje porque estava um dia cheio de sol e estava sem pachorra para fazer qualquer coisa, resolvi ir até Lisboa e vi o que já não via à uma década. Vi as pessoas acabrunhadas, tristes e quase sem forças para caminharem. Vi o meu povo triste caminhando junto às lojas olhando se soslaio e apalpando fugazmente as suas algibeiras. Os cafés e restaurantes vazios – alguns estrangeiros – As lojas de roupa, os barbeiros as lojas de quinquilharias, também estavam vazias. Obras, algumas mas paradas. Nas ruas mais bonitas da nossa cidade, vi vendilhões estrangeiros com caras de famintos. Subi ao Bairro alto e ali nas três igrejas, vi velhos e velhas estendendo a mão à caridade. Entrei no Bairro e vi dois tipos fugindo às garras de um polícia já cansado que os perseguiam por alguma malvadez feita. O povo gritava: “agarra que é ladrão”. Os ditos viraram por uma esquina e nunca mais ninguém os viu.

 A Minha cidade tantas vezes cantada por poetas e letristas contando as nossas façanhas de aquém e além-mar já não existe. Talvez tenha estado demasiadamente tempo no meu canto de escrita escrevendo histórias de vida misturadas com os meus fantasmas resguardado por uma reforma de merda mas que vai dando para sobreviver. Um dia aderi aqui ao facebook esperando não encontrar amigos porque esses já cá não andam, mas pessoas para abrir discussões não académicas mas sobre esta vida tão curta para nos encostarmos aos parcos recursos que este governo nos oferece actualmente.

Há quem durma bem. Basta-lhes o tabaquinho o cafezinho e uma comprinha ou outra só para salvar o seu ego, enquanto outros passam fome escondidos por vergonha que ainda têm na cara.

Fiquei farto do SIM! GOSTO! É GIRO! e nada mais. Vou continuar como até aqui a ser eu. A escrever as minha crónicas noutros sítios onde sou lido e entrando em discussões que me lavam a alma. Vou continuar a NÃO TER MEDO DE SER DIFERENTE. O meu nome vai continuar a dar discussões na net, como diz o outro “POR MOTIVOS”

Sabem? Estou a escrever este meu desabafo e a ouvir um programa extraordinário como à muito não ouvia na Rádio Amália “Fados em directo no Bacalhau de Molho em Alfama “ Vou acabar como dizia o meu amigo Ary dos Santos: no seu poema “ Poeta Castrado Não!”

 

“- Ah não me venham dizer
que é fonética a poesia!
Serei tudo o que disserem
por temor ou negação:
Demagogo mau profeta
falso médico ladrão
prostituta proxeneta
espoleta televisão.
Serei tudo o que disserem:
Poeta castrado não!”

 

No dia 1 de Março já cá não estou. Vou viver. Vou pastar para outra freguesia. Os meus amigos verdadeiros se me quiserem encontrar sabem onde. Mesmo aqui no facebook e noutras redes sociais.”

 

 

Homenagem a Zeca Afonso

Por agora fico por aqui e até já e portem-se bem se poderem.

  Nelson Camacho D’Magoito

 

Estou com uma pica dos diabos: Desculpem mas eu sou assim
música que estou a ouvir: a morte saiu à rua
publicado por nelson camacho às 18:43
link do post | comentar | favorito
|

.No final quem sou?

.pesquisar

 

.Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Um amigo colorido

. Namorados

. A Intrusa

. Sábado chato para um amig...

. Um Recado

. As Borboletas

. Estou na prisão do tempo

. As minhas procuras no Nat...

. Pequenas coisas

. A história do Pátio do Ca...

.arquivos

. Setembro 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Janeiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.tags

. todas as tags

.favorito

. Sai do armário e mãe pede...

. Eurovisão

. Depois de "All-American B...

. Raptada por um sonho ...

. Crónica de um louco senti...

. Terminei o meu namoro!!‏

. Dois anjos sem asas...

. Parabéns FINALMENTE!!!!

. Guetos, porque não?

. “Porque razão é preciso t...

.A Tua visita conta

web counter free

.Sempre a horas para criticar

relojes web gratis

.Art. 13, n.º 2 da Constituição

Ninguém pode ser privilegiado, benificiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou orientação sexual.
blogs SAPO

.subscrever feeds