Quinta-feira, 29 de Setembro de 2016

Finalmente libertei-me.

     Foi quando quis fumar um cigarro e o maço já tinha acabado me dirigi à máquina de café e à garrafa de Whisky que já tinha também acabado fui à caixa dos trocas que normalmente tenho junto às chaves da porta e o que lá tinha eram uns simples quarenta cêntimos resto da última bica tomada no café da esquina. Não valia a pena pegar nos cartões de débito e crédito pois esses tinham chegado ao fim do seu plafom. Subia as escadas (gente fina tem uma escadas em casa) e percorri toda a habitação. Nada havia a não ser os meus móveis de anos com recordações do passado. Recordações, umas de peças com anos que cada uma conta a sua história e fotografias do tempo que fui feliz na minha profissão e outras de pessoas que me foram queridas e de familiares que já não se encontram entre nós para me darem um abraço. Deu-me a fúria e retirei tudo o que me apoquentava com saudades e meti num baú onde escrevi uma etiqueta “Recordações que já não valem nada) e coloquei no topo das estantes do escritório em cima de uma outra que diz (Recordações de um passado).

     Fiquei aliviado. De todas as recordações só restou uma em cima da secretária, a fotografia do meu filho antes da mão o ter levado.

      Libertei-me das amaras do passado. Vou mudar de vida, tentar ser novamente eu. As portas do céu já se começam a abrir e antes que o Caronte me venha buscar para a outra margem não querendo voltar a traz    porque como diz a cantiga “Ó Tempo volta p’ra traz” isso é impossível.

     Gostava de ter coragem para fazer como o Frei Hermano da Câmara “entregar-me todo a cristo” mas não sou assim tão corajoso.

     Os meus alicerces de vidas não se alteram assim sem mais nem menos, então, só me resta fazer uma reciclagem. Olhar para o espelho e gostar do que sou hoje. Ainda vai haver muita gente que goste de mim e reconheça os meus méritos.

     Faço parte de uma geração por onde muitos não passaram. Visitei outros mundos, outras formas de estar na vida. Amei até à exaustão e por conveniência. Amei as coisas e as pessoas. Talvez por ter sido um tipo aberto para tudo na vida não fui compreendido por alguém que um dia por entrelinhas disse que tinha obrigações a reposta (porque acusou o toque) que tinha a sua própria família e eu não fazia parte dela.

     Estou farto! Hoje resolvi libertar-me das amarras.

    Eu sei que o telefone vai continuar a não tocar mas vou sentir-me bem com o meu novo espaço.

     A minha nova roupa o meu novo loque até o Caronte me vier buscar.

 

Qualquer semelhança com factos reais é mera coincidência, ou não! O geral ultrapassa a ficção

              Nelson Camacho D’Magoito

        “Contos ao sabor da imaginação” (cn-299)

               Para maiores de 18 anos

                   © Nelson Camacho
2016 (ao abrigo do código do direito de autor)

Estou com uma pica dos diabos:
publicado por nelson camacho às 00:11
link do post | comentar | favorito
|

.No final quem sou?

.pesquisar

 

.Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. A busca de ser importante...

. Palavras de Hitler

. Um dia, num lar de idosos...

. Eu era homofóbico

. A prostituição mora no Pa...

. Um amigo colorido

. Namorados

. A Intrusa

. Sábado chato para um amig...

. Um Recado

.arquivos

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Janeiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.tags

. todas as tags

.favorito

. Sai do armário e mãe pede...

. Eurovisão

. Depois de "All-American B...

. Raptada por um sonho ...

. Crónica de um louco senti...

. Terminei o meu namoro!!‏

. Dois anjos sem asas...

. Parabéns FINALMENTE!!!!

. Guetos, porque não?

. “Porque razão é preciso t...

.A Tua visita conta

web counter free

.Sempre a horas para criticar

relojes web gratis

.Art. 13, n.º 2 da Constituição

Ninguém pode ser privilegiado, benificiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou orientação sexual.
blogs SAPO

.subscrever feeds