Quarta-feira, 18 de Maio de 2016

Fingi que virei a página

Fingi que virei a página

 Disseste que me amarias até morrer!.. Mas foi uma mentira…

Estou perdido, mas não quero deixar que saibas que continuo aqui, olhando a tua fotografia e que todas as madrugadas o nosso livro se abre e os meus olhos não querem mais nada do que relembrar com o peito a arder de saudade momentos que julguei serem para sempre.

Não virei a página!

Não entendo como é que depois de tanto tempo, permaneces vivo em mim quando a nossa história, ah a nossa história, já teve um fim, pelo menos para ti, porque fingindo sorrisos quando nos cruzamos e dizendo que superei tornou-se um hábito, mas as minhas madrugadas são cheias de lágrimas pesadas que o coração guardou o dia inteiro.

A madrugada é tudo o que eu não queria vivenciar, porque outrora, nessas madrugadas, partilhávamos risos, conversávamos por horas, fazíamos guerras bobas de “eu amo-te mais” e cantavas para mim.

Nunca te menti quando disse que não superaria, mas aconteceu! Tornei-me mentiroso, quase compulsivo. Dizer que superei é uma mentira bárbara para mim pois no meu mundo real o que quero é colocarmos novamente na vitrola o disco do Richard Clayderman em My Way e ao som daquele piano voltar-mos a fazer amor até de madrugada.

Fingi que virei a página…

Porque continuo a sorrir-te – em forma do olhar a fotografia – quando tudo o que quero é desabafar à tua frente, falar-te de todas as noites que não durmo, porque faltas-me o teu corpo para aquecer os meus nestas noites geladas. Porque tento convencer-me de que é melhor para mim, quando eu bem sei, que o melhor para mim era estar contigo!.. e continuo a tentar virar a página.

É uma luta interior há qual não consigo por termo, é uma luta contra os meus próprios demónios.

Estou só!.. Levaste tudo o que era de mais belo em mim. O amor as carícias o companheirismo o adormecer com “as guerras bobas” e o café da manhã na cama.

Por mais que finja. Por mais que tente virar a página, até convencer os outros, jamais convencerei o meu coração, porque palavras são apenas palavras, mas não sentimento. Do sentimento, não posso fugir!

Não sei virar páginas, e vou colocando vírgulas nesta história, porque o final assusta-me, não sei superar!

Ainda espero que nos cruzemos novamente.

Quando esse momento chegar vou deixar que o silêncio tome conta de nós e vamos encarar nossos olhos e nos beijarmos tal como da primeira vez e acabemos adormecendo com nas nossas guerras bobas.

 Qualquer semelhança com factos reais é mera coincidência, ou não! O geral ultrapassa a ficção

              Nelson Camacho D’Magoito

        “Contos ao sabor da imaginação” (293)

               Para maiores de 18 anos

                   © Nelson Camacho
2016 (ao abrigo do código do direito de autor)

Estou com uma pica dos diabos: Triste
música que estou a ouvir: My Way
publicado por nelson camacho às 20:47
link do post | comentar | favorito
|

.No final quem sou?

.pesquisar

 

.Fevereiro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. Fingi que virei a página

.arquivos

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Janeiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.tags

. todas as tags

.favorito

. Sai do armário e mãe pede...

. Eurovisão

. Depois de "All-American B...

. Raptada por um sonho ...

. Crónica de um louco senti...

. Terminei o meu namoro!!‏

. Dois anjos sem asas...

. Parabéns FINALMENTE!!!!

. Guetos, porque não?

. “Porque razão é preciso t...

.A Tua visita conta

web counter free

.Sempre a horas para criticar

relojes web gratis

.Art. 13, n.º 2 da Constituição

Ninguém pode ser privilegiado, benificiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou orientação sexual.
blogs SAPO

.subscrever feeds